O Método Usado por Centenas de Propriedades no Brasil de Alta Produtividade…. Agora Disponível para Você!

Como criar seu primeiro mapa de ndvi

Aprenda o passo a passo para criar, analisar e interpretar seu seu primeiro mapa de NDVI

em 2 horas ou menos…

Sabe o que é ainda melhor?

Você não precisa gastar “R$1 real com software”, pagar por “imagens de satélites caras”, ou ser um “gênio da informática” para fazer isso funcionar para você.

Basta usar o que eu chamo de “mecanismo 1-1-1”

Eu consigo te ensinar uma maneira totalmente nova e simples para monitorar a saúde da sua lavoura em 2 horas ou menos.

Sei disso porque já fiz isso várias vezes com centenas de clientes.

  • Como a Fazenda Juruena economizou R$120 mil em apenas 3 meses, que foi o tempo que passei junto à eles;
  • Ou a Fazenda Rio Pardo, que teve um lucro de mais de R$1,5 Milhão ao longo de 7 anos depois das minhas recomendações. (E então usou esse dinheiro para investir em mais tecnologia e aprimoramento).
  • Ou como o Eduardo, que pegou nossa ajuda para lançar sua própria consultoria em 5 semanas.

Mas o que eles fizeram de diferente e que funciona para praticamente qualquer pessoa ter um monitoramento de sucesso?

Luís Gustavo Mendes, co-fundador da Agribase.

Antes de responder é essencial você entender…

O Grande Desafio De Quem Tenta Monitorar a Fazenda do Jeito Antigo

Muita gente acha que NÃO fazer o monitoramento periodicamente é o maior erro que você pode cometer.

“Você precisa fazer caminhamento no campo em zigue-zague”, eles dizem.
Eu consigo te mostrar como criar uma estratégia de monitoramento em 2 horas ou menos que fará você economizar tempo e dinheiro.

Outras acham que o maior erro é NÃO ter armadilhas no campo, mas também não.

Outras acham que o maior erro é NÃO ter armadilhas no campo, mas também não.

Temos vários clientes que economizam tempo colocando armadilhas somente onde era necessário ou nem usam armadilhas em dezenas de talhões.

 

Então… o problema deve ser falta de pessoal para fazer o monitoramento, certo? ...Também não!

Nos monitoramentos que faço desde 2013, não preciso caminhar em todos os talhões ou gastar dias ou semanas para identificar falhas nas lavouras, nem mesmo de grandes equipes a campo… 

e mesmo assim, eu faço dezenas de clientes terem economias de milhares de reais.

Então, qual é o grande erro que produtores e consultores cometem quando tentam criar seu primeiro monitoramento?

Você vai entender assim que ver como eu fiz…

Como você faz o controle de pragas e doenças hoje?

Talvez você já tenha testado vários métodos de monitoramento em sua lavoura.

A técnica mais comum e conhecida hoje é o controle químico. 

De fato, os defensivos agrícolas são produtos muito eficazes e importantes para o controle de pragas, especialmente quando o agente nocivo já está presente na lavoura. 

São produtos que exigem obediência a diversas normas e regras, como a utilização de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e o respeito a períodos de carência.

No entanto, o uso excessivo e inadequado de defensivos agrícolas tem preocupado muitos agricultores e pesquisadores, uma vez que o controle de pragas, plantas invasoras e doenças na lavoura está se tornando cada vez mais difícil. 

E não só isso…

E o custo cada vez mais alto?

E com o dólar nas alturas, quem aguenta?

Qual custo agrícola consegue segurar?

E a rentabilidade, nem preciso falar né.

No Vermelho!

E a longo prazo, pulverizações repetidas sem o devido monitoramento e controle podem resultar na seleção de organismos resistentes a esses produtos. 

O resultado inevitável é o aumento dos custos da produção e, em casos mais graves, perda de toda a plantação.

O monitoramento de pragas é uma atividade essencial para a saúde da lavoura.

Quando um produtor tem conhecimento do local em que está ocorrendo maior intensidade de pragas a gestão fica muito mais assertiva.

E é disso que quero falar com você.

O que estou te prometendo não é para abandonar os métodos que você já usa.

Eles funcionam.

E muito bem.

Mas o que eu realmente quero te ensinar é a ganhar tempo na hora de fazer a visita à campo e ir exatamente onde precisa ser inspecionado.

Você irá ser mais assertivo e ainda descobrirá exatamente qual talhão está precisando da sua ajuda naquele momento.

Uma Descoberta Acidental Que Me Fez Criar Um Máquina de Economia de Dinheiro

Minhas primeiras tentativas de criar monitoramento foram um desastre.

Não porque eu não sabia nada…

Mas porque eu simplesmente não CRIEI uma estratégia de caminhada nos talhões!

E isso me traz ao grande erro da maioria dos produtores ou consultores que tentam criar um monitoramento: complexidade e alto custos.

Eles querem monitoramento perfeito, com o armadilhas em toda a área.

Balela.

Isso pode até funcionar… para aquele seleto grupo de produtores que JÁ têm equipamentos e recursos sobrando.

Se você tem essas condições e quer perder semanas para criar seu monitoramento, ok. Fique a vontade.

Agora para os outros mortais, como eu quando estava começando… o que você deve fazer?

Vou te contar o que eu fiz, e como essa descoberta mudou completamente minha maneira de pensar sobre monitoramento da saúde da lavoura.

Tudo está no mecanismo que eu criei: o 1-1-1.

Guarde isso, porque é importante.

1-1-1

1 problema

1 solução

1 sentada

O seu objetivo é criar em apenas 2 horas (uma “sentada”) uma estratégia de monitoramento que… solucione um problema específico.

Ou seja… você começa a criar seu monitoramento quando senta na cadeira… e só levanta quando tiver ele pronto.

O que isso significa?

Que você vai criar algo:

E o resultado disso é um monitoramento que soluciona um problema específico da sua lavoura, de uma maneira acionável e rápida.

Bom para você e para sua lavoura.

Por que isso funciona?

Porque quando você precisa criar algo em apenas uma sentada… em menos de duas horas… 

você sabe que não pode “perder tempo”. Você não pode dar milhares de soluções para centenas de problemas da sua lavoura.

Você precisa focar.

Ser cirúrgico.

É uma solução para um problema. Ponto final.

Você não está fazendo um “monitoramento em campo”.

Você está fazendo um “Levantamento para Identificar e localizar pragas, doenças e potencial de biomassa no seus diversos talhões”.

Você não está fazendo uma “análise aleatória”

Você está fazendo um “Identificação assertiva
de quais talhões necessitam da sua ajuda”

Entende?

1 problema

1 solução

1 sentada

Quando eu comecei eu criei um monitoramento chamado
“Monitoramento usando NDVI para áreas degradas da pecuária”.

O tempo de criação e análise parecia ridículo de tão rápido que foi.

Mas sabe o que não foi ridículo?

Quando ele gerou de economia nos primeiros 3 meses de R$120 mil reais para a Fazenda Juruena.

A economia que gerei já era mais da metade do que o produtor esperava investir.

Obviamente, eu fiquei vidrado.

No final do mês eu já tinha criado 7 monitoramentos desse tipo para meus clientes.

E era só o começo.
Estamos falando de meados de 2017.
A partir daí meus resultados só foram melhorando.

O que você realmente precisa se perguntar é: O que as pessoas que estão conseguindo esse tipo de resultado REALMENTE fizeram? E a partir daí, trilhar o mesmo caminho.

Mesmo sem ter conhecimentos técnicos?

Sim, é bem verdade que a tecnologia tem evoluído bastante nos últimos anos.

Mapas de vigor de vegetação, como o NDRE e o NDVI, são cada vez mais utilizados nas propriedades agrícolas.

Eles permitem obter análises mais precisas da lavoura, detecção dos efeitos de secas, reboleiras de pragas e doenças, áreas degradadas e até estimativas de produtividade.

E, com esses dados em mãos, também é possível tomar decisões mais assertivas para administrar melhor a propriedade.

Mas, você sabe qual desses índices é o mais indicado para sua lavoura?

Como os mapas NDVI te ajudam na lavoura

E porque você deveria aprender hoje mesmo

Imagine se você pudesse…

  • Ter uma visão ampla e detalhada da sua fazenda e lavoura, solo e vegetação nas suas mãos ou direto do seu celular;
  • Ter um Mapeamento das suas culturas.
  • Analisar falhas de plantio;
  • Analisar a produção de biomassa das culturas;
  • Identificar e localizar pragas e doenças no seu talhão;
  • Detectar possíveis secas;

E não só isso….

E poder analisar como foi o crescimento e a tendência da produção de biomassa…

Identificar porque determinados anos teve quebra de safra ou falhas na plantação…

Ou até descobrir se a área que você está negociando já foi degradada ou está degradada neste momento. 

Seria mais fácil realizar o planejamento da sua fazenda, reformas ou recuperação de áreas degradadas?

Sim é possível

Este é o grande poder do NDVI.

Você consegue ter uma visão ampla da sua região.

O quanto você teria que investir, caso esteja negociando para compra.

Ou até mesmo entender quais talhões estão com dificuldades atuais. 

E por que estou te contando isso?

Bom… até hoje esse nosso mecanismo vencedor para criar monitoramentos lucrativos ficou reservado apenas para nossos clientes.

fazenda-juruema-curso-ndvi

O que é uma pena, já que o mercado aqui no Brasil carece ainda mais de bons monitoramentos aliados à tecnologia.

A boa notícia é que meu sócio Maikon Schiessl veio com essa ideia interessante: “Luis, precisamos levar nossos conhecimento para outros produtores… temos que ajudar mais consultores a usar este mecanismo.”

Foi o que decidimos te mostrar…